sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Os Bichos de Estimação de Ayrton Senna

O Amor e o Carinho pelos Animais

O Ayrton que todos os brasileiros jamais irão esquecer, além de um grande campeão, era um homem que tinha pelos animais, um grande carinho.

“Ele viveu sempre em casas e sempre teve animais de estimação.

Cachorros, papagaios e até mesmo um gato siamês chamado Gatiço.

Quando Ayrton era pequeno, seu pai tinha perdigueiros, em especial um malhado chamado Ford que vivia atrás do Ayrton”.

Ayrton, Kinda e Adriane Galisteu
Kinda foi o último bicho de estimação do campeão

Samanta, Bucks e Tula

“Houve uma época em que Ayrton teve três cachorros: Samanta, uma vira lata muito querida, o Bucks um doberman “dobrado” – do grande; a Tula uma pinscher marrom bem ranheta (briguenta) que costumava morder o calcanhar de toda visita quando estava de saída.

imagem ilustrativa de uma pinscher marrom, assim como era Tula, a cadelinha de Ayrton

O Dobermann adorava uma piscina, mas só se jogava na água quando o Ayrton estava por perto, porque sabia que ele o tiraria da água de onde não conseguiria sair sozinho por causa de seu tamanho.

Ayrton com bucks na piscina de casa

Ayrton e a querida vira lata Samanta

Tempos depois, quando o Doberman morreu Ayrton ganhou duas Schnauzer Standard pretas que eram da mesma ninhada.

Na juventude Ayrton teve três cachorros: um Dobermann, uma Pischer e uma Vila Lata, além de um gato Siamês chamado Gatiço


Fotos de Ayrton com seus animais de estimação em várias épocas de sua vida


Senna também teve um gato Siamês
Imagem Ilustrativa

Gatiço era o nome do gatinho de estimação de Ayrton Senna
Imagem Ilustrativa

Quando Ayrton era pequeno, seu pai tinha perdigueiros, em especial um malhado chamado Ford que vivia atrás do Ayrton.

Ayrton na infância com o perdigueiro Ford

O Papagaio

Ayrton criou também vários papagaios, sua paixão por essas aves começou na infância, como contou o padrinho dele, o goiano Seu Benedito, em depoimento ao livro "Uma estrela chamada Ayrton" de Lemyr Martins:

A cara do Becão iluminou-se quando viu o papagaio cantar e repetir o refrão de uma velha toada do Pantanal:

♫ ...Chorava o pai, chorava a mãe,
Chorava o filho
Com pena do papagaio...♫

E logo quis comprar o bichinho. Bem que eu tentei, mandei o dono do papagaio fazer preço, mas era bicho de estimação do caboclo e não deu negócio.

Me senti um padrinho diminuído na frente do afilhado e tentei consolá-lo
lembrando que a gente estava indo explorar o alto Araguaia durante nossas férias.

(Depoimento de Benedito José de Souza - Padrinho de Ayrton)


Os dois últimos animais

Uma chamada Mouse e a outra Kinder que acabou virando Kinda. Essas foram seus dois últimos cachorros, sendo que a Mouse ele levou para a casa de Portugal e a outra ficou em Angra dos Reis, separando-as porque começaram a brigar muito.


Quando estava no Brasil, Ayrton levava Kinda em todos os passeios de lancha que fazia em Angra, sendo que até de jetski ela andava com ele.


Ayrton e Kinda em Portugal

Nota: Antes Kinda vivia em Angra dos Reis, mas Ayrton levou a cadelinha para sua outra casa em Portugal em 1994, pouco antes do acidente fatal, segundo o livro "Ayrton Senna, uma lenda a toda velocidade" publicado pela família dele em 2009. Não se sabe o destino da cadelinha Mouse. Após o acidente Kinda voltou para Angra e teve um filhote chamado Tigre, que o campeão não chegou a conhecer. Kinda morreu em 2002 vítima de câncer


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 

MARTINS, Lemyr. Uma estrela chamada Ayrton Senna. 1º edição. São Paulo: Editora Panda, 2001.

CARAS – Quinda, a cachorra. Revista Caras, São Paulo, Edição 77, Nº 37, ano 2, Editora Abril, 28 de abril de 1995.

Jornal Animal 2005


FOTOS DE AYRTON COM KINDA 1993/1994


Senna, Kinda e Adriane








Ayrton Senna, Kinda e o menino Paulo Kondic


FOTOS DE AYRTON COM O DOBERMAN BUCKS 1983/1984







Nenhum comentário:

Postar um comentário