sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Adriane Galisteu Foi Agredida Por Atriz na Festa de 25 Anos da Caras


Claudia Alencar sacode Adriane Galisteu em festa: “Você é fútil”


A Atriz odeia Adriane Galisteu

SAULLO BRENNER
30/11/2018 16:37
metropoles.com

Em celebração aos seus 25 anos de existência, a revista Caras promoveu uma festa luxuosa na noite de quinta-feira (29/11). O evento reuniu vários artistas e a imprensa na Cidade das Artes, localizada na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

Entre os convidados estavam as atrizes Claudia Alencar e Adriane Galisteu, que protagonizaram uma cena inusitada. Enquanto conversava com jornalistas, a ex-mulher de Ayrton Senna foi surpreendida com um puxão no braço desferido pela colega.

Em meio a todos, Claudia, de acordo com o jornalista Leo Dias, do Fofocalizando, chacoalhou Adriane e disparou ofensas. “Você é uma mulher fútil, você precisa ser empoderada”, teria dito a veterana sem rodeios.


Dias não informou qual teria sido a reação de Adriane, que faz sua estreia como atriz na novela O Tempo Não Para, da TV Globo. Sem indícios de embriaguez, Claudia ainda teria terminado a noite aos beijos com o apresentador Amaury Júnior, do TV Fama.

A revista Caras edição 25, que Adriane e Ayrton foram capa, é a mais vendida da história da revista.

Adriane Galisteu chegando na festa da Caras




************************

Que vexame!

Será que Claudia Alencar era a atriz, citada em livros sobre Ayrton Senna, cujo o nome nunca foi revelado, apaixonada pelo piloto e que o perseguia no Brasil e em Portugal quando o mesmo era solteiro? 



************************


Cláudia Alencar arruma briga com Adriane Galisteu em festa




© Instagram



LUCAS BRANDÃO

30 de novembro de 2018

http://famosidades.com.br



Segundo o colunista Leo Dias, entre as situações protagonizadas, a artista chegou a chamar Adriane Galisteu de “fútil”. Em seguida, grudou a contratada da Globo pelo braço e o deixou roxo.



Além da confusão, a famosa também arrumou um possível affair no evento. Isso porque ela agarrou e, posteriormente, lascou um beijão na boca do apresentador Amaury Jr, que ficou sem reação.


Vale ressaltar que diversas outras celebridades marcaram presença na comemoração. Dentre elas Xuxa Meneghel, Flávia Alessandra, Lexa, Viviane Araújo e Sophia Abrahão.



Fotos: Claudia chegando na festa


************************


Cláudia Alencar causou na festa da revista Caras

Cláudia Alencar - 

leodias.odia.ig.com.br
Publicado às 15h22 de 30/11/2018 - Atualizado às 15h23 de 30/11/2018


Atriz terminou a noite beijando muito



Na festa da 'Caras', Cláudia Alencar foi uma atração à parte. Ela estava na garupa do Bozo. Chegou puxando Adriane Galisteu pelo braço e chamando a atriz de 'fútil'. Disse, ainda, que Galisteu precisa ser uma mulher 'empoderada'. O braço de Galisteu chegou a ficar roxo. Cláudia terminou a noite aos beijos com Amaury Junior.


************************

Ex-atriz da Record agarra Adriane Galisteu, a chama de fútil e dá beijo na boca de apresentador da Band em festa

30/11/2018 15:44
Rogério Frandoloso
otvfoco.com.br

A festa da revista Caras teve um momento um tanto quanto inusitado por conta da atriz Cláudia Alencar. A artista, aliás, foi a grande causadora na comemoração. O jornalista Leo Dias, do programa Fofocalizando, esteve no evento e contou tudo.

Cláudia, a mais animadinha da festa, se encontrou com Adriane Galisteu e não se conteve. A ex-contratada da Record agarrou o braço da morena da Globo, a chamou de fútil e disse que ela “tinha que se impor mais na sociedade”. Galisteu não entendeu nada, e nem ninguém que estava por perto.

Como se não bastasse, Cláudia, que está fora do ar desde uma participação em Rock Story (2016), ainda deu um beijaço na boca do apresentador Amaury Jr, que cobria o evento para a Band. A atriz ficou por volta de seis anos na Record e retornou à Globo em 2015.

************************

Atriz Cláudia Alencar ataca Adriane Galisteu e beija Amaury Júnior durante festa


Isto é istoe.com.br
30/11/18 - 15h20 - Atualizado em 30/11/18 - 15h21

Cláudia Alencar Alencar se excedeu na bebedeira durante festa da Revista Caras realizada nessa quinta-feira (29) e acabou dando um vexame duplo, de acordo com informações de Léo Dias, do ‘Fofocalizando’, do SBT.

Segundo o apresentador, a atriz partiu em direção a Adriane Galisteu, que concedia entrevista para um veículo de TV, e começou a sacudi-la pedindo para que ela fosse menos fútil e mais emponderada. As duas precisaram ser separadas por outras pessoas.
Ainda segundo Léo Dias, no fim da festa Cláudia roubou um beijo do apresentador Amaury Junior, que foi pego de surpresa.

************************

Cláudia Alencar causa tumulto em festa da Revista Caras, segundo colunista

Publicado por Igor Guaraná em Famosos às 16:44
Blog Social 1 - blogs.ne10.uol.com.br

Foto: Reprodução/Instagram

Durante o aniversário de 25 anos da Revista Caras, realizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, a atriz Cláudia Alencar parece ter exagerado na ingestão de bebida alcoólica, segundo o colunista Leo Dias, do programa Fofocalizando, do SBT. De acordo com o jornalista, Alencar partiu em direção de Adriane Galisteu, que no momento concedia uma entrevista televisiva, e teria começado a sacudi-la, pedindo-lhe que fosse menos fútil e mais empoderada. Acredita? Elas precisaram ser separadas por terceiros. Mas não para por aí, a artista, no fim da festa, teria roubado um beijo do apresentador Amaury Junior, que foi pego de surpresa. Que festão, não?

************************


FONTES PESQUISADAS

BRENNER, Saullo. Claudia Alencar sacode Adriane Galisteu em festa: “Você é fútil”. Disponível em: <https://www.metropoles.com/vida-e-estilo/celebridades/claudia-alencar-sacode-adriane-galisteu-em-festa-voce-e-futil>. Acesso em: 30 de novembro 2018.

DIAS, Leo. Cláudia Alencar causou na festa da revista Caras. Disponível em: <https://leodias.odia.ig.com.br/colunas/leo-dias/2018/11/5598072-claudia-alencar-causou-na-festa-da-revista-caras.html>. Acesso em: 30 de novembro 2018.

FRANDOLOSO, Rogério. Ex-atriz da Record agarra Adriane Galisteu, a chama de fútil e dá beijo na boca de apresentador da Band em festa. Disponível em: <https://www.otvfoco.com.br/ex-atriz-da-record-agarra-adriane-galisteu-a-chama-de-futil-e-da-beijo-na-boca-de-apresentador-da-band-em-festa/>. Acesso em: 30 de novembro 2018.

ISTO É - Atriz Cláudia Alencar ataca Adriane Galisteu e beija Amaury Júnior durante festa. Disponível em: <https://istoe.com.br/atriz-claudia-alencar-ataca-adriane-galisteu-e-beija-amaury-junior/>. Acesso em: 30 de novembro 2018.

GUARANÁ, Igor. Cláudia Alencar causa tumulto em festa da Revista Caras, segundo colunista. Disponível em: <https://blogs.ne10.uol.com.br/social1/2018/11/30/claudia-alencar-causa-tumulto-em-festa-da-revista-caras-segundo-colunista/>. Acesso em: 30de novembro 2018.

BRANDÃO, Lucas. Cláudia Alencar arruma briga com Adriane Galisteu em festa. Disponível em: <http://famosidades.com.br/famosos/claudia-alencar-arruma-briga-com-adriane-galisteu-em-festa/>. Acesso em: 30 de novembro 2018.

domingo, 25 de novembro de 2018

Ayrton Senna aos 19 anos


Erro no Livro "Ayrton Senna, o Herói Revelado"


O jornalista Ernesto Rodrigues em seu livro "Ayrton, o Herói Revelado" passou uma informação errada sobre o tempo de namoro entre Cristine Ferracciu e Ayrton Senna. Ernesto disse no livro que ela namorou Ayrton Senna em 1990 e 1991, mas na verdade o namoro aconteceu por poucos meses em 1991.

Depoimento de Cristine para documentários produzidos pelo próprio Ernesto Rodrigues, também diretor de TV, para canais de TV aberta e fechada, do grupo Globo, ano 2014:

"Volta e meia eu falava dele: 'Aí como ele é bonitinho... Aí como ele é bonitinho... Isso... Aquilo... Aquilo outro....'. Nessa primeira vez (eles se conheceram em abril de 1985) não tive muito o que esconder porque o Ayrton não era ainda assim: O Ayrton Senna. Ele era uma pessoa mais tranquila, não era tão famoso, tão conhecido. Eu nunca, enfim, viajei com ele, nunca nada. Foi um namoro, assim, no Rio de Janeiro. Até que nós terminamos porque eu achava uma coisa muito chata. Na época tinha muito teste de pneu aqui (no Rio de Janeiro - Antigo Autódromo de Jacarepaguá). Então ele vinha para o Rio, lá ía ele para o Autódromo. Eu falava: 'Aí gente ele fica o dia inteiro... É teste de pneu... É carro... É isso, aquilo...'. Eu não tinha muita paciência com aquilo. E aí acabamos terminando e tal. Mas a gente terminava e voltava, terminava e voltava.

Sobre a segunda vez: "Foi um pouquinho antes do Grande Prêmio do Brasil (1991) que ele ganhou em São Paulo e acabamos voltando. E alí sim, eu acho que foi uma coisa mais madura, mais séria.

Vejam o vídeo do depoimento dela:




Cristine namorou Senna no começo de 1985, mas não foi algo sério, não chegou a ser realmente um namoro. Tiveram um affair. Ela explica que Ayrton não era tão famoso. 

Sobre a segunda vez que namoraram, ela conta que o relacionamento começou "um pouquinho antes do Grande Prêmio do Brasil (1991) que ele ganhou em São Paulo". Mas no livro "Ayrton, o herói revelado", do jornalista Ernesto Rodrigues, consta outra informação. "Mais tarde, pelo telefone interno do condomínio (Portogallo, onde Senna morava), Senna mandou chamá-la (ela estava na casa de parentes em Angra). E quando soube que ela estava se separando, comemorou como se tivesse vencido uma aposta.
Ou uma corrida. Ao lembrar o episódio, Cristine disse que resistiu às novas investidas até dois meses depois daquele reencontro, quando, em novo fim de semana em Angra, Ayrton a chamou para um jantar em que os convidados eram Bernie Ecclestone e a mulher, Slavica.

Treze anos depois, Cristine considerou esse jantar, em 1990, o marco de uma relação que durou perto de dois anos e que foi praticamente desconhecida pelos brasileiros." 

A Cristine era casada com um jogador de vôlei e o casamento terminou em 1991 – saiu até na coluna social de um jornal carioca –, logo depois, após a metade desse mesmo ano, ela começou a namorar o Ayrton, e eles só foram vistos juntos em público no final de 91. 




FONTE PESQUISADA

RODRIGUES, Ernesto. Ayrton, o herói revelado. Edição 1. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2004.

Documentário "Ayrton, retratos e memórias". Canal Brasil 2014.


sábado, 24 de novembro de 2018

GP San Marino 1994 (Fotos)


GRANDE PRÊMIO DE SAN MARINO 1994
1 DE MAIO DE 1994: AYRTON SENNA DO BRASIL SENTA-SE EM SEU WILLIAMS RENAULT NO PITS ANTES DO GRANDE PRÊMIO SAN MARINO, IMOLA. MICHAEL SCHUMACHER (BENETTON FORD) VENCE A CORRIDA COM NICOLA LARINI (FERRARI) E MIKA HAKKINEN (MCLAREN PEUGEOT) VINDO EM SEGUNDO E TERCEIRO ESPECIFICAMENTE.

SAN MARINO GRAND PRIX 1994
1 MAY 1994: AYRTON SENNA OF BRAZIL SITS IN HIS WILLIAMS RENAULT IN THE PITS BEFORE THE SAN MARINO GRAND PRIX, IMOLA. MICHAEL SCHUMACHER (BENETTON FORD) WON THE RACE WITH NICOLA LARINI (FERRARI) AND MIKA HAKKINEN (MCLAREN PEUGEOT) COMING SECOND AND THIRDRESPECTIVELY.




1 DE MAIO DE 1994: O CARRO DE ROTHMAN WILLIAMS, DE AYRTON SENNA DO BRASIL, É CARREGADO EM UM REBOQUE APÓS ELE BATER NA BARREIRA DURANTE OS PRIMEIROS ESTÁDIOS DO GRANDE PRÊMIO DE FÓRMULA DE SAN MARINO, EM IMOLA. SENNA TEVE LESÕES GRAVES NO ACIDENTE E O PESSOAL HOSPITAL O PRONUNCIAM CLINICAMENTE MORTO. Crédito Obrigatório: Anton Want / ALLSPORT



1 MAY 1994: THE ROTHMAN WILLIAMS CAR OF AYRTON SENNA OF BRAZIL IS LIFTED ONTO A TRAILER AFTER HE CRASHED INTO THE BARRIER DURING THE EARLY STAGES OF THE SAN MARINO FORMULA ONE GRAND PRIX AT IMOLA. SENNA SUSTAINED SERIOUS HEAD INJURIES IN THE ACCIDENT AND HOSPITAL STAFF HAVE PRONOUNCED HIM CLINICALLY DEAD. Mandatory Credit: Anton Want/ALLSPORT



GP Brasil 1994 (Fotos)


Ayrton Senna
1994: O piloto da Williams Renault, Ayrton Senna, do Brasil é levado de volta aos boxes depois de sair da pista durante o Grande Prêmio do Brasil no circuito de Interlagos, em São Paulo, Brasil. Crédito Obrigatório: Pascal Rondeau / Allsport

Ayrton Senna
1994: Williams Renault driver Ayrton Senna of Brazil is driven back to the pits after spinning off the track during the Brazilian Grand Prix at the Interlagos circuit in Sao Paulo, Brazil. \ Mandatory Credit: Pascal Rondeau/Allsport

Ele gostava de ultrapassar. Principalmente os próprios limites


(Página do Jornal O POVO, Publicada em 01/05/1997 - Pág. 20)

Adriane Galisteu Guarda Presente de Ayrton Senna Com Muito Amor e Carinho (Vídeo)


Adriane Galisteu diz que guarda presente que Ayrton Senna lhe de com muito amor e carinho. Veja qual!

TV Fama – RedeTV! – 21 de novembro de 2018


Um túmulo basta agora aquele para quem não bastava o mundo inteiro. (epitáfio de Alexandre, o Grande)


Milton Senna, pai de Ayrton Senna, na Praça Coronel Abílio Wolney, em Dianópolis, com a filha Viviane Senna, no final dos anos 60


sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Milton da Silva, pai de Ayrton Senna


Ele pescava com amigos em Góias e no Tocantins

5 LIÇÕES DE VIDA COM AYRTON SENNA


Pedro Nogueira
El Hombre - elhombre.com.br



Ayrton Senna, morto tragicamente num acidente há quase 25 anos, no GP de San Marino, é considerado por muitos o maior ídolo do esporte brasileiro de todos os tempos. Sua popularidade se deve a numerosos fatores, entre os quais pode-se destacar seu imenso talento, carisma e personalidade. Eis um homem no qual vale a pena nos espelharmos. Hoje reunimos 5 lições de vida que Senna pode ensinar a todos nós:

1# DESAFIE SEUS LIMITES

Os limites são traiçoeiros. Às vezes você acha que atingiu o seu e, quando dá para um passo fora da zona de conforto, descobre que pode ir além. Senna acreditava religiosamente nisso. Com o poder da determinação e da experiência, ele dizia, sempre podemos ir mais longe. Por isso não se imponha limites. Busque sempre desafiá-los.

2# TENHA PERSEVERANÇA

Senna gostava de dizer que “meio-termo” é algo que não existe. No que diz respeito ao compromisso e dedicação, ou você faz bem feito — ou não faz. A perseverançaera uma das virtudes mais admiradas em Senna. Ele sempre dava o melhor de si para atingir os meus objetivos, jamais economizando no esforço.

3# ABRACE A COMPETITIVIDADE

Já falamos muito sobre a importância da competitividade aqui no El Hombre. Ela é muito importante para nos motivar e nos levar a uma busca constante pelo aperfeiçoamento. Senna sabia disso. E, quando um de seus rivais na pista — ou, mais especificamente, Alain Prost — dava um passo adiante, ele ia com tudo à batalha para tentar superá-lo.

4# O ESFORÇO IMPORTA MAIS DO QUE O RESULTADO

Mesmo sendo ultracompetitivo, Senna certa vez falou numa entrevista: “Ninguém tem obrigação de ser campeão do mundo. (…) A obrigação que eu tenho é de dar o melhor de mim.” Essa frase resume muito bem o seu espírito lutador. O resultadodas coisas na vida nem sempre está em nosso controle. Ainda assim, devemos fazer a nossa parte — e dar o máximo de nós.

5# NUNCA PARE DE MELHORAR

Já falamos sobre limites anteriormente, mas essa era uma questão tão presente na vida de Senna que vale a pena reforçar. Ele era obcecado pelo autodesenvolvimento: “Você pode aprender mais, e mais, e praticamente não tem fim”. Quando você acreditar que sabe tudo, então, lembre-se de que nem o maior piloto da história se considerava no limite do conhecimento. Por que você estaria?


Fonte: https://www.elhombre.com.br/5-licoes-de-vida-com-ayrton-senna/

Adriane Galisteu, o último grande amor

Livro “A Paixão de Senna”, do jornalista português Rui Pelejão


Ayrton Senna conheceu o seu último grande amor no Grande Prémio do Brasil de 1993. Adriane Galisteu era uma das hospedeiras contratadas pela Shell para conduzir os convidados VIP pelo paddock e fazer de rececionista na Tenda VIP da marca petrolífera. A jovem manequim paulista, então com apenas 19 anos, esteve para recusar aquele trabalho proposto pela sua agência Elite, mas mil dólares por quatro dias a sorrir e a exibir a sua beleza num provocante maiot vermelho não eram de menosprezar, sobretudo para uma jovem da classe média que vivia sozinha com a mãe e que iniciava então uma carreira de modelo.

Adriane era o protótipo de beleza que encantava Ayrton: loira e com um corpo bem desenhado, sorriso meio ingénuo que cativava e uma boa disposição contagiante que não apagava a sua inteligência emocional, que tanto atraiu Ayrton. Não era o protótipo da loira escultural, do género das que ele levava para a cama para one night stands.

Durante aqueles dias do Grande Prémio, a beleza de Adriane não passou despercebida a Ayrton, apesar do piloto estar ligado no modo «Senna competição», que só se transformava em Ayrton ou no Beco após ver a bandeira de xadrez do Grande Prémio. Trocaram poucas palavras durante as inúmeras vezes que se cruzaram, mas ela lembra-se da áurea e do carisma que o rodeava quando o viu pela primeira vez, entrando na lotada tenda da Shell. Depois da vitória no GP do Brasil e quando se preparava para regressar ao seu bairro classe média em São Paulo, Adriane recebeu de um assessor de Ayrton um convite para a festa de comemoração da vitória, que decorreria essa noite na badalada discoteca Limelight, na zona oeste de São Paulo.

Adriane aceitou o convite, juntamente com inúmeras beldades do paddock que terminaram a noite dançando na pista com Ayrton Senna, o mais solicitado solteiro do Brasil. Mas, ao não dar grande bola para Ayrton, Adriane acabou por conquistar a sua atenção e os dois acabaram dançando e conversando até ao final da festa que terminou com cada um em sua casa. No dia seguinte, inevitavelmente ao telefone, Ayrton convidou-a para um churrasco que ia dar dois dias depois na casa de Angra – e a partir daí os dois ficaram inseparáveis.

Adriane passou a ser a namorada oficial e assumida do piloto, acompanhando-o em vários Grandes Prémios, nas viagens a Angra e nas estadias na casa de Braguinha, em Sintra ou na Quinta do Lago no Algarve. O único local onde Adriane esteve poucas vezes foi na fazenda dos Dois Lagos em Tatuí, Góias, o último reduto da família Senna da Silva, que o piloto havia reconstruído para a transformar num autêntico Neverland – dois lagos unidos por um canal, um kartódromo privado para curtir umas corridas com os amigos e com o seu sobrinho Bruno Senna, que anos mais tarde seguiria os seus passos, chegando a competir na Williams, sem grande sucesso. Foi ali que o seu fotógrafo pessoal, o japonês Norio Noike, fez uma célebre sessão de fotos com o casal para a revista Caras. Assumir esta relação nas páginas de uma revista socialite, ainda por cima no santuário da família, era um sinal de que Ayrton estava determinado a desafiar a família.

Ayrton sentia que ao contrário de Xuxa, e mesmo de Cristine Ferracciu, a sua nova namorada não caíra nas boas graças da família, que, considerando as origens humildes de Galisteu e a crescente afeição de Ayrton por ela, parecia encará-la como uma ameaça interesseira.

Essa terá sido, provavelmente, uma das razões pelas quais, no final daquela desgastante época de 1993, Ayrton Senna não ter voltado para o Brasil, para o seu longo verão brasileiro, que tanto mal-estar gerara nas equipas de Fórmula 1 por onde passara.

Era a primeira vez, desde que iniciara a sua carreira na Europa em 1981, que o piloto brasileiro não passava as suas longas férias no Brasil, preferindo ficar na Europa e na sua casa na Quinta do Lago. Esta inédita decisão fez soar os alarmes na família que vivia em função de Ayrton: «É muita gente em função de mim», desabafou uma vez Ayrton com o seu amigo Galvão Bueno.

Naquele verão, Ayrton passou todo o tempo com o seu novo amor, que muitos, como Braguinha, consideram ser a mulher que fez Senna mais feliz e com quem ele tencionava casar. Os dois, enamorados, costumavam brincar que aquele verão era o ensaio para a lua de mel – conta Adriane no seu livro A minha vida com Ayrton Senna. Adriane preparava-se para ser a sra. Senna, aprendia inglês e melhorava o seu jogging com Nuno Cobra, para poder acompanhar o seu namorado nos seus treinos físicos.

A jovem brasileira acreditava que Ayrton Senna lhe iria propor casamento quando se reencontrassem após o Grande Prémio de São Marino. Ela ficara no Brasil para concluir o seu curso de inglês e tinha bilhete marcado num voo da Varig para Lisboa no dia 27 de abril.

Iria passar aqueles dias com Juracy no Algarve, esperando o regresso de Ayrton, quem sabe com um anel de noivado.




FONTE PESQUISADA

PELEJÃO, Rui. A paixão de Senna. Edição 1. Editora Leya Portugal. S.A., julho de 2014. 

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

A Diferença de Flexível para Intransigente

Ayrton Senna

Ayrton era uma pessoa flexível. Ele tinha as convicções dele, mas sabia ouvir a pessoa, compreendê-la. É estar aberta para todas as possibilidades. Mesmo que não as incorpore no seu viver, saber compreende-las nos outros. Ele seria um ótimo marido para Adriane Galisteu, já estava sendo, e um ótimo pai. Respeitaria as escolhas e o espaço de cada um. Respeitava o a maneira de ser de cada um. Ele conversava, era aberto ao diálogo. Ele não julgava as pessoas, não queria impor o que ele pensava e queria para as pessoas. Não tinha a mente "engessada". Muito diferente do seu Milton da Silva, pai dele, que era um ser intransigente-inflexível, ignorante e perverso. O maior responsável por todo aquele sofrimento na vida do Ayrton foi o seu Milton, inclusive. Os irmãos Viviane e Leonardo participaram, mas seu Milton foi o mentor dos planos diabólicos e quem os incentivou, mas todos são culpados. Foram muito perversos com Ayrton e Adriane.

Milton da Silva

Pensando aqui, sempre achei isso, o Ayrton deveria ser filho do Braga, aquele grande amigo dele que ajudou e amparou Adriane depois de sua morte. O Braga era assim, flexível, bem compreensivo. Tanto é que se deram muito bem, tiveram uma relação de pai e filho, muito melhor do que o Ayrton com seu pai verdadeiro. Braga e Armando Botelho foram como um segundo pai para o Ayrton. Cada um no seu tempo, o Armando ajudou na caminhada dele até a fórmula 1, e depois que ele faleceu Senna conheceu o Braga. Curioso é que o Ayrton sempre precisava de uma figura paterna ao lado dele, apesar de ter pai de verdade. Com certeza devido a personalidade do seu Milton. Imagina os conflitos que tiveram por toda a vida, não só o maior deles, por causa do amor de Senna por Adriane. Definiam os dois, pai e filho, como um sendo a razão (maldade) e o outro o coração, respectivamente. 

Isso de definirem seu Milton como razão – a ex-pregada Juracy os definiu assim: Senna coração e Milton a razão. Eu os definiria: Milton maldade em pessoa e Senna um ser com o coração enorme.

O episódio da Revista Caras por exemplo, que Adriane foi capa e os dois brigaram por ciúmes do Ayrton, se deu maior confusão, brigaram feio, depois Ayton ficou um doce, pediu desculpas, ficou orgulhoso da revista, pois Adriane estava muito bonita, pediu os cromos das fotos para guardar. No final das contas Adorou e a compreendeu. Percebeu que foi uma tempestade em um copo d'agua. Esse fato explica bem o que é um ser flexível. É ser doce e fofo também. Tem também o episódio da bota, que apesar dele achar feia e de "machona", ele comprou e depois achou estilosa, quando viu que caiu bem na Adriane. Tem vários acontecimentos que corroboram esse traço da personalidade dele, o ser especial que ele foi, de coração gigante. 

Ayrton Senna e Milton da Silva

Ayrton com a sobrinha Bianca no colo ao lado dos pai Neyde e Milton



quarta-feira, 21 de novembro de 2018

"Ayrton tinha o temperamento forte, mas muito maleável", diz Viviane Senna, irmã do ex-piloto


Ayrton Senna 


Revista Neo Mondo, abril de 2009.

Neo Mondo: O Brasil conhece a figura do grande campeão, que por sua postura exemplar espelha o melhor aspecto dos brasileiros. Mas como era o brasileiro Ayrton: como ele era quando criança, como era a convivência com a família e com os irmãos? Do que gostava, qual era seu temperamento?

Viviane: Meu irmão era uma criança esperta, vivaz. Desde pequeno, as rodas e a velocidade o encantavam. Aos 4 anos, ganhou o primeiro kart do meu pai. Embora ele fosse um pouco tímido com as pessoas, não deixava de se relacionar do jeito mais simples. Lembro de um aniversário, acho que dos 6 ou 7 anos, que ele quis fazer uma festinha. Ele saiu na rua convidando toda a criança que via pela frente. Encheu nossa casa. E minha mãe, depois que tudo acabou, perguntou de onde conhecia toda aquela gente. Ayrton respondeu que não conhecia quase ninguém. A adolescência foi bastante madura, já que a carreira começou a ser traçada, profissionalmente, aos 13 anos, quando também conquistou sua primeira vitória numa corrida oficial. Ayrton era uma criança feliz, um adolescente comprometido com seu futuro, um filho e um irmão carinhoso, afetivo. Temperamento forte, mas muito maleável. Ele sabia o que queria e lutava para conseguir. Sempre foi muito determinado.


Ayrton Senna seguido pela irmã Viviane, pela sobrinha Bianca e o cunhado Flávio Lalli


**************


Maleável não tem a ver com ser manipulável. Maleável é ser mais flexível, menos rigoroso/a nas ideias e atitudes. Uma pessoa compreensiva, entende a pessoa, se coloca no lugar dela.


Me lembrei daquele episódio dos grampos onde no livro "Ayrton Senna Saudades" do jornalista português Francisco Santos, ele relatou que "Mais grave terá sido – principalmente para Ayrton – o fato da família ter mandado grampear os telefones de seu apartamento em São Paulo e de sua casa em Angra dos Reis. Isso o terá desgostado muito, a ponto de, segundo informações que tive, lhe terem provocado uma reação para depois de Imola, que jamais aconteceu.". Assim sendo, o Ayrton perdeu totalmente a paciência com a família no final de sua vida devido a essas armações deles para separá-lo de Adriane. 

Mas, infelizmente era tarde demais...


**************


FONTE PESQUISADA

UECHI, Uane. Amor pago com amor. Revista Neomondo, Santo André, nº 21, ano 2, p. 6-17, Editora Abril, abril de 2009.

SANTOS, Francisco. Ayrton Senna do Brasil. 4ª Edição. São Paulo: EDIPROMO, novembro 1994.