quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Joe Verstappen Diz Que Schumacher Trapaceou Em 1994

Michael Schumacher

Publicado em 07/12/2011 - 10:05
Diário do Nordeste - blogs.diariodonordeste.com.br

GP de Aida 1994: Com controle de tração, "Schumi" levava vantagem nas largadas

O holandês Joe Verstappen disse em entrevista à revista holandesa “NUsport”, que o alemão heptacampeão mundial de F1 Michael Schumacher trapaceou no ano de 1994 quando venceu o campeonato em cima do inglês Damon Hill.

“Michael também depende do equipamento. Para muitas pessoas, ele era Deus, mas ele não é o Super-Homem – ele nunca foi. Quando corri de kart com ele, ele nunca me venceu. Sei o que aconteceu quando estivemos juntos na Benetton em 1994. Tenho certeza que o Schumacher contou com auxílios eletrônicos que os outros não tiveram. Todo mundo sabia disso, inclusive Senna, afirmou o piloto holandês que teve apenas dois terceiros lugares como melhores resultados em suas dez atuações.


Assista:
Senna preocupado com trapaças de Schumacher em 1994




Assista:
Prost Revela Que Senna Tinha Certeza das Trapaças de Schumacher


Em outra ocasião na entrevista, Joe Verstappen disparou: “As pessoas pensam que procuro uma desculpa quando digo isso, mas eu sei que seu carro era diferente em comparação ao meu naquele ano. Eu freava no limite e andava o mais rápido que podia em todas as curvas, então o que eu poderia fazer quando Schumacher conseguia e eu não? Aquilo não estava certo, falou.”

Briga com Flavio Briatore


Briatore ergue Schumacher como campeão da temporada de 1994

Joe Verstappen revelou que chegou a confrontar o então chefe da Benetton, Flavio Briatore, sobre a questão, mas o italiano, por sua vez, desconversou.

“Havia auxílios eletrônicos. Eles [os membros da equipe] nunca irão admitir, mas estou convencido disso. Mais tarde, perguntei disso a Flavio Briatore, que havia me levado à Benetton. Ele me disse para não falarmos disso, então estou convencido o suficiente.”

Em 1994, Verstappen fez sua estreia na F1 após ter se sagrado campeão da F3 Alemã no ano anterior. Nas primeiras provas do ano, guiou ao lado de Schumacher em substituição ao então titular, JJ Lehto, que havia se lesionado em um acidente na pré-temporada. Até o final daquele ano, disputou dez corridas e obteve dois pódios, na Hungria e na Bélgica.

Ayrton Senna lutou para acertar Williams


Ayrton Senna teve dificuldades em controlar o carro da Williams

Ao saber que Ayrton Senna iria para Williams, a melhor equipe até então, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) proibiu alguns itens que faziam a equipe de Frank Williams como favorita. Era óbvio que o dueto Senna/Williams faria com que o campeonato terminasse na metade como temia a maioria das equipes.

Foram proibidas o sistema de tração, o câmbio automático e a suspensão ativa. Três itens fundamentais no carro da Williams quem lhe deram os títulos de pilotos e construtores em 1992 e 1993. Com isso, Ayrton Senna teve que trabalhar, em um espaço curto de dois meses para acertar o carro. O brasileiro fazia de tudo e reclamava que o Williams Nº 2 estava saindo de frente devido a falta dos equipamentos eletrônicos.

[O banimento desses itens pela FIA foi o começo do fim de Ayrton Senna, pois seu carro Williams FW16 ficou muito instável, surgindo assim diversos problemas mecânicos nele. E por fim, a equipe fez uma emenda na barra de direção do carro de Senna, que rompeu na sétima volta do Grande Prêmio de San Marino, causando o acidente fatal de Ayrton]

Ao iniciar o campeonato de 1994, tanto Ayrton Senna como a Williams desconfiaram de alguma coisa no carro de Schumacher, porém não foram adiante, apesar de Senna pedir em San Marino que Frank Williams tomasse alguma providência “Isso foi dito pelo próprio dirigente no filme de Ayrton Senna”. Mesmo assim com um carro totalmente inferior tecnicamente ao da Benetton de Schumacher, Ayrton Senna sempre conseguia andar 0,5 segundos a frente do alemão. No filme de Senna mostra o piloto falando aos mecânicos que o carro saía muito de frente e ele esforçava-se para segurar o carro principalmente nas curvas de alta.



Punição para Benetton e outras equipes

Em Imola (corrida que vitimou Ayrton Senna), a FIA encontrou softwares ilegais nos carros da Benetton e McLaren que inicialmente haviam-se negado a entregar os seus código fonte. No entanto, beneficiando-se de uma brecha no regulamento – que dizia que os dispositivos jamais poderiam ser usados durante os GPs, mas não especificava sobre a possibilidade de existência dos mesmos -, a Benetton não pôde ser formalmente acusada, pois não houve provas de que esses mecanismos tenham sido usados nos eventos oficiais.

Já a Mclaren, apesar de constatado o uso de um software ilegal durante o GP de San Marino não foi condenada pois a FIA considerou que a equipe acreditava que o dispositivo não era ilegal. Uma posterior investigação estava por ser iniciada quando a FIA descobriu que o técnico contratado tinha vínculos com a Benetton.

A única infração comprovada foi a respeito da bomba de gasolina: no GP da Alemanha daquele ano, o carro de Jos Verstappen (companheiro de Schumacher na Benetton) foi incendiado: segundo a investigação da FIA, a remoção do filtro de segurança aumentava a fluência da gasolina para mais de 13 litros por segundo, ganhando 1 segundo em média por parada—suspeita-se que a Benetton e Schumacher obtiveram vantagens através deste artifício naquele ano em corridas anteriores ao GP da Alemanha, inclusive o GP do Brasil, quando superou Senna nos boxes.


Jos Verstappen e Michael Schumacher

Na audiência da World Motor Sport Council, que julgou a questão da ausência do filtro de combustível foi elucidado, entre outras questões, que o time Benetton recebeu uma carta enviada pelo fabricante (Intertechnique) da bomba de combustível instruindo a remover o filtro de combustível.

A Benetton ainda afirmou que Charlie Whiting, chefe do departamento técnico da Fórmula 1, havia autorizado a retirada do filtro de combustível, apesar de não ter sido apresentada nenhuma autorização por escrito pela equipe.

Também concluiu-se que outras quatro equipes, cujos nomes não foram citados, estavam operando sem o filtro de combustível. A FIA decidiu não punir a Benetton e as demais equipes envolvidas desde que o filtro não fosse mais removido.

E por último, no Grande Prêmio da Austrália, o último da temporada, Michael Schumacher bate sozinho e vendo que Damon Hill o passaria, jogou o carro de forma proposital em Damon Hill. Com isso, o alemão sagrou-se campeão do mundo de 1994.

Veja o vídeo!



FONTE PESQUISADA

DIÁRIO DO NORDESTE - Joe Verstappen diz que Schumacher trapaceou em 1994. Disponível em: <http://blogs.diariodonordeste.com.br/jogada/formula-1/joe-verstappen-diz-que-schumacher-trapaceou-em-1994/>. Acesso em: 24 de fevereiro 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário