domingo, 28 de agosto de 2016

Braga Tentou Levar Adriane Galisteu a Bolonha Para Último Encontro Com Ayrton Senna

Braga, grande amigo de Ayrton Senna, sabia que Senna estava morrendo e queria que eles se vissem pela última vez


Trecho extraído do livro “Fatal Weekend”, em português "Fim de Semana Fatal", escrito pelo jornalista e escritor britânico Tom Rubython, lançado em novembro de 2015


TRADUÇÃO LIVRE

Antônio Braga tinha tomado a seu cargo os arranjos familiares imediatos e estava particularmente preocupado quanto a levar Adriane para Bolonha. Ele sabia que Senna gostaria dela a seu lado.
Braga quebrava a cabeça, uma vez que não ia ser fácil conseguir um vôo de Faro ou Lisboa diretamente para Bolonha em um domingo à tarde. Ele pensou em solicitar ao Capitão O'Mahoney (piloto do jato de Senna) voar para Faro para buscá-la, mas seria uma viagem de sete horas. Finalmente, Braga usou o telefone no motorhome da McLaren para chamar sua esposa Luíza, que estava em sua casa em Sintra, perto de Lisboa, com as suas filhas adolescentes, Joanna e Maria. Como todo mundo, Luíza tinha assistido a corrida na televisão e queria notícias. Depois de Braga dizer-lhe o que sabia, ele disse pra ela telefonar para Adriane e dizer que ela teria que ir a Bolonha, o mais rápido possível. Eles decidiram que a melhor opção era fretar um avião em Faro para trazê-la para Bolonha. A esta altura, Braga tinha quase certeza de que Senna estava morrendo, mas pensou que não haveria tempo para ela dizer adeus.
Assim que desligou o telefone, Luíza ligou para Quinta do Lago. Ela disse para Adriane: "Braga me telefonou de Imola. É extremamente grave. Você tem que ir pra lá imediatamente." Adriane respondeu: " Luíza, venha comigo. Não me deixe sozinha."

Braga e Senna



IDIOMA ORIGINAL

Just after four o’clock, with the noise of the race still in their ears, Leonardo Da Silva, Betise Assumpcao and Josef Leberer were waiting at the track heliport for Bernie Ecclestone’s helicopter to take them to San Maggiore hospital in Bologna, 35 kilometres away.
Antonio Braga had taken charge of the immediate family arrangements and was particularly concerned about getting Adriane to Bologna. He knew Senna would want her at his bedside.
Braga racked his brains as it was not going to be easy to get a flight from Faro or Lisbon directly to Bologna on a late Sunday afternoon. He thought about asking Captain O’Mahoney to fly to Faro to pick her up, but that would have been a round trip of seven hours. Finally, Braga used the phone in the McLaren motorhome to call his wife Luiza, who was in their house in Sintra near Lisbon with their teenage daughters, Joanna and Maria. Like everyone, Luiza had been watching the race on television and wanted an update. After Braga told her what he knew, he told her to phone Adriane and tell her she had to get to Bologna as soon as possible. Between them, they decided the best option was to charter a plane in Faro to bring her to Bologna. By this time, Braga was almost certain that Senna was dying but thought there would be time for her to say goodbye.
As soon as she put down the phone to her husband, Luiza called Quinta do Lago. She told Adriane: “Braga called me from Imola. It’s extremely serious. You have to go there immediately.” Adriane replied: “Luiza, come with me. Don’t leave me alone.”




FONTE PESQUISADA

RUBYTHON, Tom. Fatal Weekend. 1º Edição. Great Britain: The Myrtle Press, 12 de novembro de 2015.








Nenhum comentário:

Postar um comentário